Luisa_Dale_plano_b_009.png

plano B

 

plano B

FOTOGRAFIA 

 

projeto pessoal


“O cotidiano de um casal recém-casado é documentado pela perspectiva dela, Luísa Dalé, jovem mulher que imigra à Europa com sua família. Sua tentativa é guardar aqueles momentos que um dia formarão as memórias mais antigas de um momento decisivo em sua vida. Casar-se com um homem que, em termos temporais, pouco conhece, e mudar-se para um país familiar ainda que completamente desconhecido. Seu Plano B é a opção outra, a tangente que desvia definitivamente o fluxo, angulação ínfima capaz que leva a lugares imprevistos. Traçou a rota para fora de sua zona de conforto, fora de sua casa, fora de seu país, e descobriu no caminho muito mais de si do que dos outros.

 

Desacelera frente a um infinito de possibilidades mas enxerga o horizonte a florescer.

 
 
 

A série tem nuances que se misturam de forma sutil, difíceis até para ela mesma distinguir. Essa nostalgia futura que a acompanha, ora sobrepõe o estranhamento em seu olhar, onde velhos hábitos já não lhe cabem mais, ora lhe empurra em busca de afetos e pertencimentos, como se traduzindo costumes, decifrasse o que já sabia. Solidão também é parte presente desse deslocamento, e entre os espaços, o frio toma lugar. Desacelera frente a um infinito de possibilidades mas enxerga o horizonte a florescer.

Os fragmentos de sua jornada já são, cada um, todo o percurso. O relicário do presente já nos lembra de seus futuros imaginados e os registros documentais são a própria construção de relações íntimas, afetivas e familiares.  E como o caminho faz o caminhante, sua busca por sentidos e significados, finda por ser o sentido em si.”